Pessoas com deficiência marcham por direitos no FSM2018

Pessoas com deficiência marcham por direitos no FSM2018

Representando cerca de 45 milhões da população brasileira, as pessoas com deficiência prometem ocupar espaço dentro da programação do forum Social Mundial que acontece em Salvador, de 13 a 17 desse mês.

O Coletivo Baiano de Pessoas com Deficiência, grupo de trabalho formado para organizar as atividades dessa população no encontro, planeja marcar presença na marcha de abertura do evento que acontece na próxima terça feira, 13, as 15 h, saindo do Campo Grande até a Praça Castro Alves, culminando com um encontro cultural animado por diversos artistas e coletivos vindos de diversas partes do mundo. O destaque da ala das pessoas com deficiência é a participação das pessoas que convivem com albinismo que marcharão com sombrinhas efaixas com palavras de ordem reivindicando direitos e justiças social.

Também é planejado realizar uma atividade de convergência de organizações de pessoas com deficiência de diferentes países e territórios do mundo sobre o tema “Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência: avanços e desafios” Representantes de associações de outros países e continentes são esperados neste sentido, para destacar os avanços e desafios para a implementação da convenção internacional. Esses representantes devem vir de países africanos, particularmente de Marrocos. A Convenção Internacional representa um quadro legislativo de referência para associações de pessoas com deficiência em todo o mundo. Ela aponta os alicerces de outro mundo possível de justiça social e ambiental, no sentido de uma sociedade inclusiva, acessível e democrática que respeite as diferenças entre os seres humanos. A Convenção Internacional indica estratégias de ação nesta direção. No entanto, mais de dez anos após a sua concepção (e 10 anos após a ratificação pelo Brasil), a Convenção Internacional continua sendo uma bela carta de intenção, que ainda precisa ser aprofundada e implementada nos territórios do mundo. Avanços aparecem sob várias formas, por exemplo com a adaptação da legislação local, ou com o desenvolvimento de iniciativas de promoção da acessibilidade e de acesso inclusivo aos serviços, mas eles geralmente são insuficientes. Quais são esses avanços? Quais são os desafios e as possíveis e/ou necessárias estratégias para uma implementação mais efetiva dos conteúdos defendidos e promovidos pela Convenção? Estas são algumas das questões que devem orientar os debates dentro da atividade de convergência.

Grupos e associações da área da deficiência interessados em participar dessas atividades e particularmente da atividade de convergência que ocorrerá no campus da UFBA, em Ondina, as 14 h do dia 14 de março, devem entrar em contato com o coletivo através do correio: mobilizapcdfsm2018@gmail.com

#PraCegoVer: Num fundo branco, um berimbau, um caxixi e uma baqueta, localizados na lateral esquerda da imagem. Na ponta superior do berimbau, três fitas nas cores vermelha, amarelo e verde. Ao lado, em azul marinho, uma palavra embaixo da outra formam o título: Fórum Social Mundial. Abaixo do título, os continentes, Oceania na cor verde, América do Norte e Central e Europa em Azul, América do Sul em vermelho, África em preto, e Ásia na cor amarelo. Na base dos continentes, a frase em tom de azul escuro: 13 a 17 de março / 2018. Sob a data, numa tarja azul marinho, com letras brancas em caixa alta, a frase: RESISTIR É CRIAR RESISTIR É TRANSFORMAR. Na parte inferior da imagem o texto em caixa alta, em tom de azul escuro: SALVADOR | BA | BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *