BOLSAS CLACSO – CLATE desigualdades, exclusão e crise de sustentabilidade nos sistemas de pensões na América Latina e no Caribe

1

BOLSAS CLACSO – CLATE
desigualdades, exclusão e crise de sustentabilidade nos sistemas de pensões na América Latina e no Caribe

Tópico:
As desigualdades, exclusão e crise de sustentabilidade

CARACTERÍSTICAS DA CHAMADA / FUNDAMENTAÇÃO

Esta chamada tem por objetivo aprofundar o conhecimento sobre os sistemas de pensões na América Latina e no Caribe, suas características gerais, os elementos que mantêm ou exacerbar a desigualdade entre seus beneficiários, os fatores que excluem grandes segmentos da população o direito à segurança social e compreender as causas que explicam a crise de sustentabilidade enfrentando muitos deles.

O objetivo é construir um quadro analítico para a compreensão de como o desenho, a estrutura, o modo de financiamento e gestão de um sistema de pensões relacionados com a possibilidade de garantir o direito à segurança social. Nesse sentido, o objetivo é que os projetos explorar explicações para a crise de sustentabilidade que enfrentam muitos sistemas na região e desenvolver propostas para enfrentar e superar essas crises a partir da perspectiva de um sistema público, estadual e solidariedade.

O direito à segurança social, entendida como a garantia de protecção social eo bem-estar auxilia todos os trabalhadores no momento da velhice ou em situações de deficiência, goza de reconhecimento constitucional na maioria dos países da América Latina e do Caribe. Ele também tem reconhecimento internacional, por exemplo, através da Convenção 102 da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Mas o reconhecimento legal é muitas vezes insuficiente quando não existem mecanismos reais para garantir e efectivamente a fruição de uma contribuição de pensão que alcançar um estado de bem-estar.

Entendemos que situação de bem-estar que transcende a mera satisfação das necessidades básicas e permitindo tanto conseguir a inclusão plena na vida económica, social e cultural do trabalhador eo trabalhador, bem como manter o atingiram durante a posição de ciclo de vida. A este respeito, as variáveis de exclusão e desigualdade devem se relacionar com a possibilidade de alcançar o bem-estar e não apenas a percepção da aposentadoria para servir como “alívio da pobreza” da população que vive em idade e / ou deficiência de idade.

sistemas de pensões, por outro lado, não são estranhos para a realidade vivenciada pelos trabalhadores em atividade, onde o desemprego, o subemprego eo trabalho clandestino e incerteza sobre o futuro do trabalho envolvido na robotização e incorporando inteligência artificial, são variáveis que impactam tanto as suas capacidades financeiras ea capacidade do trabalhador para se qualificar para acessá-lo. Estas e outras variáveis, como o aumento das taxas de longevidade, força-nos a repensar a concepção dos sistemas de pensões, de modo a assegurar a sua sustentabilidade ao longo do tempo.

Mas sempre que um sistema de pensões é analisado do ponto de vista dos beneficiários e deve ser considerada como principal objetivo garantir o bem-estar de si e não o uso de fundos de pensão como um meio de acumulação financeira. Nesse sentido, a aposta é pensar melhores alternativas para a crise que enfrenta sistemas atuais dentro de um regime de direito público, estadual e solidariedade, para que eles devem considerar formas de financiamento que envolvem não só as contribuições de trabalhadores / e empregadores / as mas também do próprio estado.  

Relatórios:
clacsoclate@clacso.edu.ar

DATA DE ENCERRAMENTO: 14 DE AGOSTO, 2017

Fonte:http://www.clacso.org.ar/concursos_convocatorias/concursos_convocatorias_detalle_principales.php?id_convocatorias=85

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *